Crise econômica pode decretar fim do Blip.fm

E a crise econômica que assola o mundo pode decretar o fim de um dos “coelhos” de maior destaque na web nos últimos meses. Blip.fm, um ambiente social voltado para música – aos moldes do Twitter – pode fechar suas portas nos próximos meses.

A Fuzz Artists, empresa que desenvolve o “microblogging musical” (odeio este termo), não anda bem das pernas: fez um corte de funcionários na última semana, deixando apenas quatro funcionários para gerenciar parte de seus produtos, entre eles o Blip.fm.

Com apenas dez meses de nascimento, o ambiente não obteve o retorno financeiro esperado, apesar de ser uma ferramenta de grande uso por parte dos usuários do Twitter, e tem seu futuro, assim, indefinido. Blip.fm tem possibilidades de encerrar suas atividades, mas ainda assim acredito em uma incorporação a alguma grande marca, já que parte de seu nicho permanece fiel.

Apesar dos boatos, é possível tirar boas lições a respeito do “boom” de programas e redes sociais que se famigeram através do Twitter. O próprio, já não é mais uma unamidade, apesar de sua [boa] premissa de compartilhar informação. Blip.fm, então, pior ainda.

Começou com um serviço de propagação de inserção a rede que se aproximou mais de um spam, atributo que me deixou mais desinteressado ainda a seu respeito. Soma-se a isso a péssima navegabilidade por “seguidos” e “seguidores”, que promove o fim da música que você ouve.

Foto: Irist Typepad.

  • Bruno

    Eu sou da mesma opinião que você, Rafael.
    nunca gostei do Blip… sempre usei serviços mais interessantes, como a Last.fm.
    Abraço

  • http://derepente.com.br Rafael Sbarai

    @Bruno,
    é muito mais de nicho estes ambientes sociais de músicas. O pessoal que não tem costume de usar o Twitter, por exemplo, adora a Last.fm. E vice-versa.
    Difere muito do uso e praticidade de cada pessoa mesmo

  • http://www.escriba.org Jorge Cordeiro

    Pois é… ainda assim o twitter está atraindo a atenção do gigante Google, porque o seu sistema de busca representa uma grande ameaça – ou oportunidade de negócio para concorrentes.

  • http://recuerdosdecaracas.wordpress.com Alessandro Lima

    Bruno, você está sendo extremamente etnocentrico dizendo que o LastFm é mais importante.

    Ele é mais importante para você. E você é um dos bilhões de usuários da internet no mundo. O Blip.fm tem sua importância e lamento que esteja prestes a fechar, pois para seus usuários certamente é um dos serviços mais queridos.

    Eu gosto muito tanto do Blip quanto do Last.FM não acho que eles conflitem, seus propositos são bem diferentes…

  • http://derepente.com.br Rafael Sbarai

    @Alessandro,
    Há uma questão de nichos. Last.fm é bem mais popular, mas Blip.fm tem um “grupo” muito fiel.
    Por isso que não acredito em seu “fechamento”.
    Abraço,

  • Xavier Orkall

    Logo agora que me decidi a juntar ao blip…
    Discordo, em absoluto, quando falas na péssima navegabilidade. Nesse aspecto acho o twitter muito mais tosco. Mas hei, isso sou eu (hoje em dia é uma heresia falar mal do twitter). Eu uso e abuso do last.fm, e não acho que o blip seja de alguma forma concorrente. São serviços diferentes e que acabam por se completar.

  • Pingback: Last.fm dá um tiro no próprio pé e começa a cobrar seus usuários | De Repente()