O que é Twitter, por Ben Stiller

Nunca fui fã de Ben Stiller, mas o ator norte-americano dá uma explicação bem compreensível sobre “o que é o Twitter” ao lendário Mickey Rooney, companheiro de profissão e apresentador que nasceu no início do século passado (1920) e tem uma relação extremamente distante da tecnologia.

Rooney é uma espécie de entrevistador e começa questionar com perguntas a respeito da ferramenta de 140 caracteres. Durante a rápida conversa, Stiller até cita o Tweetdeck, um dos aplicativos de maior sucesso da ferramenta. Ficou na cara que ele quer ser um novoAshton Kutcher“.

Via Mediaite.

Posts relacionados
Um relógio composto por mídias sociais
A nova página inicial do Twitter ficou menos Orkut e mais Google
A tipografia usada em logos de redes sociais e plataformas de conteúdo
5 recortes malucos do mundo conectado
Como explicar o que é Pagerank usando água, tinta e tubos

A corrida de seguidores e o #jogodoadd de Ashton Kutcher


O momento “bizarro” da glória: Kutcher alcança o milhão no Twitter

Sinceramente não queria falar a respeito deste assunto por tornar-se lugar-comum, mas a pedidos via e-mail, faço um rápido comentário envolvendo celebridades, ferramentas sociais e o jogo de seguidores. Na última quinta-feira, Evan Williams, co-fundador do Twitter, produziu uma mensagem que gerou rapidamente boatos na web.

Amanhã será um grande dia (desculpe pelo teaser — informações mais tarde).

Muitos começaram a suspeitar sobre a negociação envolvendo Twitter e Google, o que rapidamente foi descartado. Evan começou a celebrar o ingresso da popular apresentadora Oprah Winfrey em sua conta – que já possuía 37 mil seguidores sem uma mensagem postada.

Coincidência ou não, no mesmo dia, o ator Ashton Kutcher alcançou o “primeiro milhão de seguidores” da ferramenta mais comentada no momento. A “disputa” com a CNN, outra conta bem popular do Twitter, valia até promessas e publicidade pessoal multimídia no Twitter.

Em pouco tempo, Kutcher saltou da terceira posição para o primeiríssimo lugar. Do nada. Ninguém ao menos questionou o fato de – apenas em um dia – Evan Williams ter reunido os eventos Kutcher e Oprah. Pura jogada de marketing para levantar ainda mais sua marca e – consequentemente – seu valor no mercado.

Até aí, temos muitos pontos a levantar. O mais pertinente veio do TechCrunch. MG Siegler começou a questionar o uso popular da ferramenta e lembrou da velha premissa de que o Twitter é uma ferramenta de comunicação e não uma corrida de quem tem mais seguidores.

O próprio Jack Dorsey, um dos fundadores do Twitter, já havia levantado essa bola. Só que o problema é mais embaixo. Ashton Kutcher não é único neste movimento. A doença de quem tem mais seguidores, algo tão Orkut em 2004, começa a contaminar muitos brasileiros.

O ator, marido de Demi Moore, encabeça e lidera uma lista de infectados. O pior é que o #jogodoadd, alardeado pelo norte-americano, começou bem no instante em que era uma das celebridades que mais tinham domínio da ferramenta.

Kutcher praticamente acabou com os papparazzi que o seguia pelas ruas. A partir do uso do Twitter, o norte-americano construiu sua própria mídia e, posteriomente, sua maneira de produzir conteúdo. Aos poucos, começou a integrar imagens, vídeos e texto para aproximar fãs de sua carreira profissional.

Rankeamento consolidado, o norte-americano abre uma “discussão vazia” no Twitter. Só que o #jogodoadd pode até estar velho. Chegou o momento de debater sobre a possibilidade da ferramenta não ter limitação de seguidores. Ontem mesmo o Twitter anunciou o limite de adicionar mil seguidores por dia.

Frase da semana

Olá Twitters! Agradeço pela recepção calorosa por aqui. Me sinto realmente agora no século XXI.

Frase de Oprah Winfrey, famosa apresentadora de televisão, durante sua primeira mensagem enviada pelo Twitter, nesta sexta-feira.

Oprah tinha a proeza de ter cerca de 37 mil seguidores sem uma mensagem postada. A propagação e alarde em torno de sua estreia também foi desenhada por Evan Williams, fundador da ferramenta. Para ele, o “grande dia” chegou: a primeira mensagem da apresentadora, ao lado de Ashton Kutcher, ator norte-americano que chegou a marca de 1 milhão de seguidores, tema de um post futuro.

O alarde foi feito, o registro foi alcançado. Mas ninguém ao menos questionou como isso aconteceu. Há três dias, por exemplo, Ashton Kutcher aparecia longe deste milhão e na terceira colocação dos mais seguidos de todo o mundo. No mesmo “grande dia” de Evan Williams, ele alcança esta marca. Alguém tem alguma duvida sobre a veracidade e como isso foi construído?

Eu tenho.