Com botão ‘Assinar’, Facebook e seus usuários podem expor mais informações

Logo após apresentar as Smart Lists (listas inteligentes) – uma evidente resposta ao rival Google+ –, o Facebook lançou nesta semana o recurso Assinar (Subscribe), que permite que usuários da rede social recebam atualizações de outros cadastrados sem a necessidade de criação de vínculos de amizade no site. O recurso, já disponível aos mais de 750 milhões de cadastrados, é a sexta novidade divulgada pela empresa de Mark Zuckerberg em menos de um mês. De quebra, aumenta a exposição de informações compartilhadas por usuários – com o consentimento dos próprios, diga-se.

Continuar lendo

Ao completar 1 ano, botão ‘Curtir’ ganha versão aprimorada

O botão “Curtir”, do Facebook, acaba de completar um ano de vida. Desenvolvido para facilitar a recomendação de links em sites de notícia ou blogs, o recurso mostra que o autor é mais importante do que a mensagem propagada na maior rede social do planeta. Ou seja, acessamos determinado conteúdo desde que ele nos tenha sido recomendado por alguém em quem confiamos.

Para celebrar o registro – e ampliar o império do compartilhamento –, a rede apresentou o recurso “Send” (Enviar, em português). Presente apenas em 50 sites do exterior – entre eles, as publicações The Wall Street Journal e Washington Post -, o recurso permite que o usuário compartilhe conteúdos com grupos determinados. Na prática, o adepto escolherá para quem enviar a recomendação. A ideia do Facebook parece ser combater o velho hábito de enviar recomendações por e-mail a várias pessoais.

Apresentado em abril de 2010 durante uma conferência anual para desenvolvedores, o botão “Curtir” fez parte de um pacote de serviços criados pela empresa para facilitar a vida de todos os usuários atrelados ao site. Na ocasião, Mark Zuckerberg disponibilizou uma plataforma básica com uma série de serviços – o que inclui Atividade Recente, presente no site de VEJA.

Zuckerberg previa o êxito da ferramenta, que de fato se confirmou. “O lançamento é um passo extremamente significante ao Facebook”, disse. A ascensão do botão se deu como um foguete. Na primeira semana após o lançamento – com a rede beirando 400 milhões de usuários cadastrados -, 50.000 sites instalaram o recurso. Em um mês, o número dobrou. Hoje, estima-se que 65 milhões de usuários do site cliquem diariamente no botão: são quase três milhões de sugestões por hora. Segundo Sheryl Sandberg, vice-presidente operacional da empresa, mais de 10.000 sites incorporam o botão diariamente.

A vasta adesão é explicável. Plataformas de redes sociais, como Facebook e Twitter, tornaram-se importantes fontes de tráfego. Portanto, assim que uma empresa disponibiliza recursos como o “Curtir”, cresce a chance do conteúdo ganhar exposição. Do ponto de vista pessoal, o sucesso também faz sentido. Parte dos cadastrados busca pertencer a um grupo, fazer diferença na vida de seus amigos e ter a sensação de que pode ajudar. Em uma rede social, distribuir links é compartilhar conhecimento. No Facebook, distribuir links é recomendar, agir, criticar, elogiar e opinar. O usuário dá mais atenção ao que um amigo distribui em sua página do que a uma recomendação proveniente de um desconhecido. Rapidamente, o Facebook virou um mar de links: por mês, são disponibilizados mais de 25 bilhões.

Para celebrar o registro, o Facebook apresentou em seu blog o botão em todos os idiomas

Soberano em seu segmento, o Facebook viu seu maior rival, o Google, reagir. Recentemente, o gigante de buscas lançou o +1, que permite aos usuários recomendar resultados de busca e anúncios. Na prática, ao realizar uma pesquisa no site, qualquer pessoa receberá links indicados não só pelos motores de busca robotizados, mas também recomendações de seus próprios amigos.

Foto: Denisdervisevic (em Creative Commons).

Posts relacionados
Como organizar e armazenar links ‘curtidos’ no Facebook

‘Send’ quer acabar com o antigo hábito de enviar links por e-mail

O botão “Curtir”, do Facebook, acaba de completar um ano de vida. Desenvolvido para facilitar a recomendação de links em sites de notícia ou blogs, o recurso mostra que o autor é mais importante do que a própria mensagem propagada na maior rede social do planeta. Ou seja, acessamos determinado conteúdo desde que ele nos tenha sido recomendado por alguém em quem confiamos. É o poder do remetente virtual.

Para celebrar o registro – e ampliar o império do compartilhamento –, a rede apresentou o recurso “Send” (Enviar, em português). Presente primeiramente apenas em 50 sites do exterior – entre eles, as publicações The Wall Street Journal e Washington Post -, o recurso permite que o usuário compartilhe conteúdos com grupos determinados. Na oportunidade, a ideia do Facebook parece ser combater o velho hábito de enviar recomendações por e-mail a várias pessoais. Lembrando: o e-mail segue como a plataforma mais utilizada para compartilhar informação.

A funcionalidade, irmã mais nova e eventual “rival” do Curtir, já está disponível para sites de notícias e blogs. Na ocasião, toda e qualquer pessoa cadastrada na rede de Zuckerberg pode enviar conteúdo para uma vasta lista de contatos – entenda-se aqui usuários cadastrados ou não ao Facebook: contatos por mensagens eletrônicas por Yahoo, Hotmail e Gmail, por exemplo, também entram no pacote.

No entanto, na contramão da facilidade de compartilhamento de informação na rede, cria-se uma nova brecha aos spammers, personagens virtuais que podem encontrar no recurso um serviço para encher a caixa de mensagens do usuário no Facebook com links maliciosos. Indefinidamente, a maior rede social do planeta quer virar a principal ponte de comunicação entre pessoas conectadas.

Compartilhe o conteúdo de VEJA no Twitter

Os leitores de VEJA.com já podem compartilhar, com seu seguidores do Twitter, os conteúdos publicados pelos colunistas e blogs do site. A partir desta semana, VEJA.com integra àquelas páginas o recurso Tweet Button, recém-criado pela rede de mensagens de até 140 caracteres.

O serviço, apresentado na forma de um botão, será exibido na barra ao final de cada texto (confira na imagem abaixo). Para compartilhar, basta clicar no retângulo que leva o termo “Tweet” e o pássaro símbolo do Twitter.

Para conferir quantas vezes aquele conteúdo já foi compartilhado por outros usuários, basta clicar no quadrinho ao lado – que exibe o número. Uma timeline do Twitter exibe quem são os perfis – e também o que eles falam sobre o assunto.

Chegou a hora de você experimentar: compartilhe seus conteúdos favoritos – e visualize também as informações distribuídas pelos demais usuários da rede.