A falta de informações e o sumiço midiático com a fatalidade envolvendo Rafael Gomes de Freitas e Vinícius Mauri

Reflexivo e de excelente qualidade o texto proferido pelo jornalista Cláudio Leal, divulgado ontem no Terra Magazine, a respeito da fatalidade envolvendo dois grandes amigos meus no último dia 30, na zona sul da capital paulista.

O ambiente, um dos mais sérios e relevantes da imprensa online do país, começou a produzir desde o dia 15 de junho uma série chamada “Brasil: guerra urbana” para mostrar e evidenciar as faces ignoradas da violência e o sumiço midiático de acontecimentos que merecem ser questionados para promover mudanças legislativas e judiciais no país.

Terra Magazine conta as vidas esquecidas de dez brasileiros que não tiveram a chance de concluir desejos ínfimos. O extraordinário cotidiano de homens e mulheres comuns. Histórias finalizadas pela violência, quase sempre banal e mal revelada.

Nesta segunda edição, foi a vez de relatar a bela história de vida de Buiu, bem aos moldes do bom e velho New Journalism.

As belas palavras proferidas por Cláudio realçam a necessidade de acompanhar o fato que, até o momento, não teve um desfecho. Vini segue em estado grave e em coma, porém com um quadro de recuperação surpreendente. O comerciante Paulo César Carneiro, acusado de atropelar os dois jovens, é considerado foragido há mais de dez dias.

Seu advogado, por sua vez, bate diariamente na porta de uma delegacia – localizada na zona sul de São Paulo – pra avisar que seu cliente irá se entregar, mas ao mesmo tempo, promove uma pressão garantindo que “irá largar o caso”. Argumento que já foi proliferado por diversas vezes. Acreditar no mais do mesmo?

O único movimento que fez desde o início do mês de junho foi entregar as placas do carro de Paulo César, já que o sujeito retirou-as após atropelar Vini e Rafa.

A questão do momento é que o problema da violência no país não é mais apenas de narcotráfico, de segurança, ação de milícias ou simplesmente briga entre quadrilhas. O ruído está ao seu lado. Ao nosso lado. A fatalidade – envolvendo Vini e Rafa – é reflexo da irracionalidade do homem.

Rafael Gomes de Freitas ou, simplesmente, Buiu

O De Repente está de luto com a triste e inesperada partida de Rafael Gomes de Freitas, ou simplesmente Buiu, como era conhecido entre os mais próximos.

Buiu, de apenas 22 anos, foi morto brutalmente na madrugada do último domingo, praticamente em frente ao símbolo principal de nossa infância – o Colégio Magno, na zona sul – depois de ter sido atropelado por um indivíduo não identificado. Vinícius Elias Mauri, outro grande amigo em comum e que estava no local do acidente, também foi atingido pelo veículo e segue em estado grave.

Vini, Buiu e mais dois amigos atravessavam uma rua próxima a Avenida Washington Luís por volta das 4h30 da madrugada de sábado. No momento em que se deslocavam em direção ao prédio de Buiu, um motorista em um Corsa preto abordou o grupo para saber se havia visto um travesti que havia danificado seu carro.

Sem saber do que estava acontecendo, todos rapidamente responderam que não viram absolutamente nada. O motorista deu uma volta no quarteirão e, em alta velocidade, atirou o veículo na direção do grupo. Vini e Buiu foram atingidos.

Buiu é uma figura carimbada dos meus últimos cinco anos de colégio, período no qual você acaba tendo boas lembranças: companheiro e personagem principal da categoria principal do futsal do Magno, era tranquilo, alegre e incentivador. Não à toa foi um dos que mais vibrou em meu último jogo vestindo a camisa da entidade, vencido por nós por 4 a 3, no Rosário, em 2003.


Último jogo do Magno em 2003 – De pé: VINI, Saty, Farah, Andy, Turtles e BUIU;
Agachado: Lucas, Du e Celo; e eu tirando a foto

O grande ruído entre nossa amizade era mesmo o nome. Dois “Rafael” na singela equipe de quatro jogadores na linha e um no gol tornava-se um obstáculo para receber orientações do professor Fernando. De um lado era Buiu. Do outro, Sbarai.

Recebo a informação – na manhã de hoje – quatro dias depois da confirmação que seria pai. Sua namorada está grávida de oito meses. Logo, da boa notícia, veio a inesperada e triste partida. Bem parecido com o que aconteceu com Lucas Palomino Mattedi, ou apenas Lucas, que esteve entre as vítimas do vôo JJ 3054 da TAM.

Até o momento, a polícia apreendeu o suposto veículo que atropelou meus dois amigos. O proprietário, por sua vez, está foragido. Cabe agora, às autoridades, encontrá-lo e fazer o mais difícil no país: cumprir leis.

Enquanto isso, fico na torcida pelo Vini, nosso grande goleiro. Ele permanece em estado grave em um hospital na zona sul.

Fica aqui as palavras de agradecimento de Buiu em 2003, quando era “blogueiro”. Rafael Sbarai e Alves são sinônimos. Logo, sou eu.

Aeee, Gostaria de agradecer primeiramente aos meus Pais que me colocaram no mundo(sem eles eu naum seria ninguem) , segundamente aos meus avós por colocarem meus pais no mundo (sem eles eu naum seria ninguem), terceiramente aos meus bisávós por colocarem meus avós no mundo (sem eles eu naum seria ninguem), quartamente para os meus triavós…ah cansei…..bom gostaira de agradecer a mim mesmo por ser o kra q eu sou, depois aos meus irmauns por serem chatos, ao meu Primo Marcel(aeee vamu à bahia hauhauaua)e pra minha cunhadinha Tassi(Aee tassi T. Adoro), depois ao Thiag/O e André q me ajudaram a montar issu daki, aos mlks do col (Nando, Luke, V, Fefos, Kiko), tbem gostaria de agradecer o Rudy por ser um Irmaum praticamente, e tah nos EUA atualmente( Vleu Gruvy), a toda galera do col, os kras q taum saindo, os q taum fikandu vleu galera, o pessual do time do meu col (Alves, Lucas, Kiko, Enzo, Du, Andy, Farah, V(o meu goleiro hauhaua), Turtle(meu diciplo), e ao treinador Fernando “o kra chatu”), pra  Mulherada vai meu bjo de novo (vleu minas, vcs sabem quem são, as do col “Amaralzis, Aninha, Alice, Mentirinha, Valdo e todas as outras” as de Indaiatuba, as do clube da Ana “Clube Castelo” e pra todas as mulheres do Mundo que um dia ei de conhecer), e a vc Luciano Hulk por me dar essa chance de tentar ganhar esse premio, Obrigadu.

Ao Buiu, o meu muito obrigado por tudo. E que fique em paz.