Como organizar e armazenar links ‘curtidos’ no Facebook

Usar o botão ‘Curtir’ do Facebook é muito fácil. É o que 65 milhões de usuários fazem diariamente para recomendar sites, notícias, posts de blog etc. Já recuperar uma certa ‘curtição’ não é nada fácil. Caso queira buscar um registro qualquer que um dia decidiu recomendar, o usuário do Facebook tem que pacientemente vasculhar seu perfil, item por item. É deste trabalho que o LikeJournal promete poupar o usuário, dando novo impulso à função ‘Curtir’. Trata-se da primeira biblioteca virtual dinâmica de links favoritos ou recomendações dentro de uma rede social.

Desenvolvido por programadores sem vínculos com o Facebook, o aplicativo é uma espécie de Delicious (o popular serviço de compartilhamento de links do Yahoo!) da rede social de maior popularidade no planeta.

Uma vez que o usuário aceita a instalação do serviço em sua página na rede social (imagem abaixo), o LikeJournal permite visualizar todos os links ‘curtidos’ – até dos seus amigos – desde o ingresso do cadastrado na rede social. O aplicativo reúne todos os itens ‘curtidos’,  indica o número de pessoas que também compartilharam a mesma URL e ainda permite buscas específicas entre todas as recomendações que foram feitas na rede social.

Leia também
Como migrar fotos do Orkut para o Facebook

Como selecionar parágrafos e grifar textos no New York Times

Na última sexta, alguns blogs especializados comemoraram como um gol os novos recursos apresentados pelo The New York Times. Entre as inovações apresentadas no First Look – blog de novidades da empresa – o destaque ficou por conta da ampliação de vínculos presentes em um texto, com o uso dos links entre parágrafos.

Na prática, o leitor tem a possibilidade, agora, de criar links de um excerto do texto – e não o artigo completo, caso o mesmo seja extenso. Além disso, o interagente tem a chance de “grifar” o conteúdo que considerar mais importante – o uso de letras como h ou p no fim de cada url permite filtrar e hierarquizar assuntos. No caso da imagem acima, escolhi por “grifar” o quarto parágrafo do texto.

A funcionalidade facilita o compartilhamento de conteúdo em plataformas instantâneas como Twitter e Facebook e propicia maior eficácia aos leitores que buscam compartilhar conteúdo indo direto ao assunto.

É mais uma manobra da publicação na tentativa de fugir do lugar-comum e oferecer ao leitor da versão on-line do jornal uma proposta, digamos, “nova” – o recurso já é conhecido há algum tempo, mas sob o ponto de vista técnico e menos prático.

No caso dos blogs, essa tarefa pode ser facilitada com o uso do Winerlinks, plugin presente no WordPress já há algum tempo e testado recentemente no Press Think, de Jay Rosen, professor de Jornalismo da Universidade de Nova York. O serviço será um dos recursos que serão posteriormente testados no blog.

Posts relacionados
Times Extra, do The New York Times