A aposta olímpica [e ultra-positiva] da NBC


NBC gastou e, antes mesmo de acabar os Jogos, já obteve um lucro exorbitante

Quando a NBC pagou 607 milhões de euros pela transmissão exclusiva das Olimpíadas, muita gente criticou. Um custo alto para uma competição esportiva que dura menos de um mês. A aposta [alta], planejada e que promoveu mudanças de horários de competição, como a natação, promoveu um triunfo histórico. A empresa norte-americana quebrou recordes na TV e na internet, provocou mudanças de pensamento na web e, de quebra, já superou seus gastos antes mesmo de terminar o evento.

O medo foi superado com resultados que considero surpreendentes.

Via The New York Times, descobri que os Jogos Olímpicos de Pequim trouxeram números surpreendetemente altos para a publicidade, superando até dados otimistas. NBC teve, simplesmente, 30 milhões de espectadores e 30 milhões de visitantes únicos em sua página página especial olímpica e cerca de seis milhões de vídeos foram compartilhados (olha a força da cidadão).

Todo essa audiência gerou bons frutos a NBC. Segundo estimativa do Los Angeles Times, a empresa de comunicação já lucrou 679 milhões de euros. Isso mesmo. A quatro dias do fim dos Jogos, NBC já superou seus gastos olímpicos.

Sinceramente, isso não veio à toa. Apesar da “modesta” segunda posição norte-americana no quadro de medalhas, a NBC contou com o apoio dos atletas do país [vide os ouros de Michael Phelps e o show das ginastas]. Dois fatores extremamente importantes para a construção de um vínculo entre veículo de comunicação e telespectador/leitor/internauta.

Atualizado: No Brasil, a situação não é diferente. Via Adnews, vi que 12,3 milhões de brasileiros acompanhar o evento pela web no Terra.

As [variadas] opções para assistir Olimpíadas na web


A alta definição é algo raro, mas há boas sugestões para ver os Jogos na web

O streaming e alarde do portal Terra em relação à transmissão dos Jogos Olímpicos de Pequim provocaram diversas opiniões sobre a “maior cobertura esportiva na internet brasileira”. Pelo Twitter, por exemplo, é possível encontrar aqueles que gostem do sistema, enquanto outros reclamam pelo serviço prestado.

Enquanto isso, procurei algumas alternativas iguais ou até superiores ao ambiente virtual controlado pela Telefônica.

A melhor qualidade de imagem que vi foi do espanhol Rtve.es. O veículo de comunicação conta com dois canais ao-vivo de cobertura do evento. O único problema é a questão nacionalista. Ou seja, privilegiam atletas da casa na transmissão.

Sites de vídeo ao vivo, como Ustream, Stickam ou Justin.tv também são sugestões válidas. O mais interessante dos três canais da web é a diversidade de transmissões, já que envolvem reproduções de todo o mundo. Dentre os três, aconselho mais o Justin.tv, que possui a melhor conectivade com os browsers. Além disso, o alto número de usuários no ambiente não derruba o site, enquanto nos outros…

Anyway, outra opção usando um streaming P2P é o PPLive, uma das maiores empresas que transmitem as Olimpíadas na web. O único problema deste é a obrigação de usar um proxy chinês, já que liberam apenas no país-sede da competição.

Foto: Ex Nihilo.