Por um Facebook com mais usuários do Orkut

Há alguns meses, Orkut e Facebook travam um duelo nada silencioso – e esperado – pela preferência dos brasileiros nas redes sociais. O primeiro ainda reina no segmento, com mais de 29 milhões de visitantes únicos no mês de agosto, segundo recente estudo da Comscore. No entanto, tem visto o seu maior concorrente avançar de forma eficiente. O mais novo recente episódio da batalha estava previsto para ser lançado na última sexta-feira. De olho no confronto para atrair mais adeptos ao serviço, a rede social de Mark Zuckeberg apresentará aos mais de 500 milhões de cadastrados sua nova arma – a possibilidade de encontrar seus amigos do Orkut no Facebook.

O recurso, ainda não disponível, será a nova isca para conquistar novos adeptos. O Brasil é um dos poucos países em que ainda não há supremacia do Facebook.

Ao vincular os dois perfis nas plataformas sociais, os adeptos serão capazes de compartilhar informações, vídeos e fotos com todos os seus amigos. No caso, a opção irá aparecer na página principal do perfil do cadastrado.

Essa é a segunda tentativa do Facebook em atrair adeptos da rede social de maior popularidade no Brasil. Em setembro de 2009 – dias após a vinda de Mark Zuckerberg ao Brasil – brasileiros visualizavam uma mensagem inusitada (imagem acima) ao acessar o serviço: “Encontre seus amigos do Orkut no Facebook!“. Na época, o interessado deveria clicar no link que estava disponível, que permitia receber orientações para importar contatos do Orkut.

Foursquare: 3 milhões de usuários. Mas ainda é para poucos

O Foursquare atingiu neste domingo a marca de 3 milhões de usuários. O registro do site baseado em geolocalização foi alcançado por um usuário dos Estados Unidos – país que detém 60% dos cadastrados no site – e acontece dias após o anúncio do Facebook anunciar o Places, recurso ainda não aberto ao Brasil para concorrer com o serviço.

Criado em março de 2009, o 4sq evoluiu de forma vertiginosa, o que despertou o interesse de possíveis compradores, como o Yahoo. No entanto, o fundador Dennis Crowley nega que esteja interessado em vender o site neste momento. Em julho, a rede passou de 100 milhões de atualizações de dados de entrada de usuários em diferentes locais, conhecido como check-in – o que corresponde a um tweet.

A gritaria virtual foi propagada por blogs especializados na área neste final de semana. E está aquém de serviços do segmento como o Loopt, que possui uma base de mais de 4 milhões de usuários (grande parte concentrado, também, nos EUA).

Até o momento, os valores nem se comparam às gigantes das redes como o Twitter, que já conta com mais de 105 milhões de usuários. O motivo é simples: o uso da rede social necessita na maioria das vezes de um dispositivo móvel, como um celular ou tablet conectado à internet. No Brasil, por exemplo, apenas uma pequena parcela da população tem o recurso.

Como o Facebook redefine a privacidade, por TIME

Interessante e longa a reportagem que a TIME destaca sobre o Facebook – que virou capa. A publicação norte-americana explica, em sete páginas para impressão, como a polêmica em torno da privacidade do usuário com a maior rede social do mundo é intensa.

As justificativas partem por todos os lados. Desde o F8, conferência realizada em abril entre desenvolvedores do Facebook para anunciar novidades da plataforma, informações pessoais como álbum de fotos e atividades desenvolvidas na rede social são informações públicas aos cadastrados do FB. Para alterá-las, o usuário deve conhecer os seis campos de privacidade que prevê 36 mudanças em relação ao seu perfil – fato que poucos usuários conhecem.

Em meio às polêmicas, a publicação permeou os fatos com números.Alguns chamam atenção:

  1. TIME revela que, nas próximas semanas, o Facebook alcançará 500 milhões de usuários
  2. Mais de 100 mil sites já usam as ferramentas sociais anunciadas pela rede em abril (Atividade Recente e botão ‘Curti’)
  3. 100 milhões de cliques únicos no botão Like (conhecido no Brasil como ‘Curti’

Em uma busca na web, recebi algumas informações interessantes e que foram pouco destacadas: em seis anos de vida on-line, as políticas de privacidade do site mudaram 17 vezes, uma média de quase três reformulações por ano. Os termos de uso, outra importante configuração da rede, só fora modificada em sete oportunidades.

Três milhões de usuários no Twitter

O número é questionável mas, por enquanto, de forma extra-oficial. É assim que visualizo a atualização da quantidade de usuários no Twitter, principal serviço de microblogging do mundo. Segundo TwitDir, três milhões de pessoas estão inseridas na rede social.

O dado, sinceramente, pode ser maior. A métrica segmentada em destaque não contabiliza os usuários com contas protegidas (pois é, atributos Orkut já chegou por lá).

Pelo que se observa no gráfico, o crescimento de internautas no serviço é vertiginoso, quebrando qualquer premissa sobre a falta de popularidade do Twitter pelas constantes quedas. Espera-se, por exemplo, que o microblog alcance a marca de quatro milhões já em novembro deste ano.

Leia mais:

Mapeamento climático colaborativo no Twitter
Um gerador de tráfego no Twitter
As mensagens de erro do Twitter
Uma [outra] nova maneira de usar o Twitter
Mapeamento climático colaborativo no Twitter
Um modelo de negócio no Twitter
Qual é o propósito [jornalístico] do Twitter?
Twiddict
O Twitter caiu?
Um badge do Twitter para o blog
A nova casa do Twitter
Serviço agrega temas populares do Twitter
Twubble amplia o círculo de amizades no Twitter